Discurso de Marcelo M. Guimarães na Cerimônia inaugural pela criação do Dia em Memória às vítimas da Inquisição

Por |2024-01-31T07:08:30-03:00abril 6th, 2015|Artigos|

Câmara Municipal de Belo Horizonte - Cerimônia inaugural pela criação do Dia em Memória às vítimas da Inquisição - Lei Munic. 10.805/15 Hoje é um dia muito especial para mim, para o Museu da História da Inquisição, creio para a Comunidade Judaica também, para toda a sociedade Belo Horizontina, pois foi criado um dia, o 31 de março (1821, data em que foi abolida aqui no Brasil), o Dia em Memória às vítimas da Inquisição.

Outra História do Brasil

Por |2024-02-05T10:43:39-03:00agosto 6th, 2014|Artigos|

A descoberta oficial do Brasil fazia parte do cronograma: Colonização e plantio de cana-de-açúcar pelos cristãos-novos... A partilha do mundo nos meados do século XV, pela poderosa Igreja, emitindo bula papal, criou um impasse entre a Espanha e Portugal, segundo documentos da Torre do Tombo em Lisboa. A arbitragem papal emitiu várias bulas em que os portugueses se consideraram prejudicados, acirrando ainda mais a rivalidade luso-espanhola, que quase levou a um confronto armado. Em 1494, foi firmado o Tratado de Tordesilhas, pelo qual as áreas de influência ficavam demarcadas a partir de um meridiano situado a 370 léguas a oeste do Arquipélago de Cabo Verde. Resguardavam-se os antigos domínios espanhóis e portugueses.

Museu da Inquisição recebe homenagem da Câmara Municipal de BH

Por |2024-02-05T10:12:14-03:00setembro 26th, 2012|Artigos|

Discurso pelo Recebimento da Homenagem (diploma de honra ao mérito) da Câmara Municipal de BH pelo Primeiro Museu da História da Inquisição acontecido no último dia 21 de setembro de 2012. (Marcelo Miranda Guimarães – Diretor-Presidente e Fundador) Gostaria inicialmente de agradecer de coração ao querido amigo e irmão Vereador Divino Pereira de quem partiu esta iniciativa de homenagear com o Diploma de Honra ao Mérito ao Primeiro Museu da História da Inquisição no Brasil. O vereador Divino Pereira é da nossa região da Pampulha e tem trabalhado efetivamente para a melhoria da qualidade de vida das pessoas que nessa região residem e em toda a BH.

A Gênesis da perseguição ao povo judeu

Por |2024-02-02T06:28:19-03:00setembro 26th, 2012|Artigos|

O ponto de partida para compreensão de toda a história do povo judeu, incluindo os marranos e os denominados cristãos-novos deve ser a própria Bíblia. Com ela nós poderemos compreender em detalhes a origem e a missão do povo judeu e a conseqüente perseguição. Não é propósito aqui discorrer sobre gênese do universo e do ser humano, tentarei abordar este assunto de uma forma bem imparcial, sem levantar nenhuma questão doutrinária ou sectária. Mas, a bíblia relata claramente que Deus criou os céus, os mares, a terra e tudo o que nela existe.

Uma sinopse da 1ª Conferência Internacional B´nei Anussim em Castelo de Vide-Portugal

Por |2024-01-31T07:13:26-03:00setembro 25th, 2012|Artigos|

Nossa conferência sobre os B´nei Anussim/marranismo em Castelo de Vide foi um sucesso. Os próprios preletores de Portugal disseram que foi o evento com maior número de participantes já acontecido em Portugal sobre o tema Anussim. Tivemos a participação de professores e doutores em história, tanto das universidades portuguesas como brasileiras.

A Restauração dos B’nei Anussim (Filhos dos Forçados)

Por |2024-01-27T13:40:05-03:00setembro 25th, 2012|Artigos|

Visitar o circuito das cidades judaicas de Portugal é aprender com o passado, meditar e agir no presente e desejar ver cumprido o futuro dos fatos bíblicos. Joseph Shulam, Victor Escronard de Israel, Marcelo Guimarães do Brasil, Abílio Videira e João Azevedo de Portugal integraram a comitiva que esteve visitando as cidades históricas e judaicas de Portugal. A jornada se iniciou em Lisboa, começando por uma oração profética de arrependimento na Praça do Rossio, onde milhares de judeus luso-brasileiros foram ali julgados, condenados e executados pela Corte do Santo Ofício da Inquisição. A história nos mostra que mais de 80 mil judeus já viviam livremente em Portugal quando outros 120 mil judeus espanhóis cruzaram as fronteiras a partir de 1492 em decorrência de sua expulsão daquele país pelo decreto dos Reis Católicos de Espanha, endossado pela Bula do Papa Xisto IV, “Exigit sincerae devotionis Affectus...”.

Aspectos Espirituais da Inquisição

Por |2024-01-27T13:36:23-03:00setembro 25th, 2012|Artigos|

Recentemente o Papa João Paulo II voltou a fazer suas considerações ao reconhecer os erros do passado em relação à intolerância religiosa, por ocasião da publicação de um livro de autoria de Agostino Barromeu, professor da Universidade Católica de Sapienza-Itália. O trabalho deste autor se resume em mostrar que durante o tempo da Inquisição, que em alguns países como Portugal e Brasil chegaram a vigorar por 3,5 séculos, a Igreja Católica não foi tão carrasca e não matou tanto como ensinam todos os livros de história, pois apenas menos de 1,8% dos réus julgados foram mortos em suas fogueiras (Revista Isto É/1811 de 23/06/04). O Papa já havia pedido perdão pelos erros da Inquisição Católica no ano de 2000. Antes, porém, já havia também pedido perdão aos judeus, por ter o Vaticano se calado no período do Holocausto que ocorreu na 2a. Guerra Mundial.

Os judeus e as divisões geo-culturais

Por |2024-02-11T07:34:44-03:00setembro 25th, 2012|Artigos|

Espalhados através dos continentes, os Judeus assimilaram grande parte da cultura dos povos entre os quais viveram, e muitas vezes o casamento exógeno acompanhado de conversões ao judaísmo trouxe para o grupo grande número de elementos, o que veio marcar profundamente o tipo físico desses Judeus: Louros em regiões européias, morenos no norte da África, quase mulatos no Iêmen, negros na Etiópia e no sul da Índia, mongólicos na Ásia Central; altos aquelouros, atarracados outros, dolicocéfalos ou mesocéfalos, uns com o nariz grande, outros com ele curto etc.

Ir ao Topo